Exames Refrativos: Miopia, Astigmatismo e Hipermetropia

09a-exames-refrativos
A cirurgia refrativa é um procedimento indicado para a correção da miopia, astigmatismo e hipermetropia. Conhecida pela eficiência da técnica empregada no procedimento, a cirurgia refrativa carece, antes de tudo, de alguns exames pré-operatórios.

Entre os procedimentos obrigatórios em exames para cirurgia refrativa, destacam-se o estudo da Topografia Corneana, que objetiva identificar condições desfavoráveis, e a Paquimetria, que determina a espessura total da córnea.

A avaliação do filme lacrimal, a Tonometria de aplanação e a microscopia especular da córnea também são exames para a cirurgia refrativa, e mesmo complementares, são importantes para a precisão do procedimento.

Dúvidas sobre erros refrativos? Fale com um especialista:

banner-duvidas-nao

Exames necessários no pré-operatório da cirurgia refrativa

  • Aberrometria
  • Ceratoscopia Computadorizada
  • Paquimetria Ultrassônica
  • Microscopia Especular de Córnea
  • Tomografia da Córnea

Os exames para cirurgia refrativa são realizados e confrontados entre si para aumentar a segurança e o sucesso do procedimento.

Miopia

A palavra miopia vem do grego “olho fechado”, porque as pessoas com esta condição, frequentemente apertam os olhos para ver melhor à distância. A Miopia é a condição em que os olhos podem ver objetos de perto, mas não são capazes de enxergar claramente os objetos de longe. A miopia atinge cerca de 25% da população e é um dos vícios refracionais mais comum. O olho míope apresenta uma curvatura corneana acentuada e/ou comprimento do olho maior que o normal. Por esse motivo, o foco se dá antes da retina, resultando em uma baixa de visão para longa distância.

A necessidade de óculos ou de lentes de contato para obtenção de uma boa visão pode, para muitas pessoas, ser motivo de desconforto e dependência. A melhor opção para diminuir esta dependência é a cirurgia refrativa com um equipamento a Laser.

Hipermetropia

O hipermetrope tem baixa visão para perto e longe (vê mal de perto e de longe). Se conseguir enxergar bem de longe, será com esforço e fadiga, pois o olho não consegue compensar todo o grau através do músculo responsável pela acomodação. Trata-se de um vício de refração que faz com que os raios luminosos que vão em direção dos olhos se encontrem num foco atrás da retina e não sobre a retina como deveria ser para um olho normal. Geralmente, a hipermetropia tem origem congênita do olho, ou seja, o diâmetro do globo ocular é pequeno.

Fadiga ocular e dores de cabeça são consequências do esforço permanente de acomodação; podendo ser a causa destas manifestações, mais frequentes ao final da tarde e depois do trabalho. Porém, esse esforço pode resultar em outros sintomas como: sensação de peso nos olhos, lacrimejamento, ardor e vermelhidão.

Uma hipermetropia fraca passa frequentemente desapercebida até aproximadamente os 40 anos, pois o olho compensa este grau para estabelecer uma imagem nítida. Na criança, se a hipermetropia é forte, percebemos isto mais cedo, pois a deficiência é muitas vezes acompanhada de estrabismo, que deve ser rapidamente corrigido.

Astigmatismo

O olho com astigmatismo tem uma visão imperfeita, tanto para perto quanto para longe. Não tem a percepção nítida dos contrastes entre as linhas horizontais, verticais e oblíquas. O astigmatismo pode associar-se com outras anomalias visuais como a miopia, a hipermetropia ou a presbiopia (vista cansada).

A córnea normalmente é arredondada enquanto no olho com astigmatismo, é ovalada. Sendo assim, os raios de luz não chegam ao mesmo ponto na retina. Tal como ocorre com os demais vícios de refração, o astigmatismo pode estar relacionado a uma herança genética, porém a causa ainda é desconhecida. O astigmata confunde os símbolos próximos, como o H, o M, o N, o 8 e o 0. Combinado com a miopia ou a hipermetropia, o astigmatismo pode provocar fadiga ocular, dor de cabeça, ardor e olho vermelho.

Presbiopia

A presbiopia ou “vista cansada”, para a maioria das pessoas, inicia após os 40 anos. Ocorre por uma ineficiência do sistema de acomodação da visão para perto, levada pela perda da elasticidade do cristalino (lente natural do olho e fadiga do músculo ciliar). Ler mensagens no celular, o jornal, a validade de um produto, tornam-se tarefas extremamente difíceis ou mesmo, impossíveis. A rapidez com que a presbiopia se estabelece varia de uma pessoa para a outra, em função da quantidade e tipo de grau que use para longe.

A presbiopia pode ser corrigida através dos seguintes procedimentos:

  • Correção da visão por laser, com mono visão ou com mono visão personalizada através do equipamento a Excimer Laser;
  • Implante de lentes intraoculares, multifocais ou monofocais com mono visão (para pacientes que já apresentaram catarata).

Saiba mais sobre Erros Refrativos baixando o e-Book gratuito que a equipe do Núcleo Avançado em Oftalmologia preparou para você:

82851571

Você tem dúvidas sobre os Exames Refrativos? Acesse a área de atendimento do site, teremos o maior prazer em atendê-lo. ou
Ligue para whatsapp (31) 99895-8332

 

" Os equipamentos e outros produtos oftalmológicos citados neste site não configuram interesse comercial; são citados apenas em caráter de esclarecimento e educação da coletividade, respeitando a lei de patentes e de registro dos mesmos na ANVISA. A incorporação de tecnologias, que há pouco tempo seriam inexistentes, mostra a potencialidade desses instrumentos na melhoria da atenção médica prestada, porém lembramos ao leitor deste site que nenhuma informação substitui a consulta com o médico de sua confiança."